Pesquisa revela uma tendência de aumento do número de jovens adultos que vivem com os pais

713

Um estudo apresentado pelo Fórum Económico mundial revela que quase metade dos adultos de 18 a 29 anos nos EUA vive com um ou ambos os pais, após grandes aumentos nas últimas décadas.

Em julho de 2022, metade dos adultos de 18 a 29 anos morava com um ou ambos os pais. Isso caiu de um pico recente de 52% em junho de 2020 (muito provocado pela pandemia da COVID19), mas ainda significativamente maior do que a parcela que morava com os pais em 2010 (44% em média naquele ano) ou 2000 (38% em média).

Para algumas etnias é mais comum viver com os pais enquanto outras consideram ser mau para a sociedade, as opiniões diferem significativamente por raça e etnia, idade, gênero, renda e até preferência política. Segundo a pesquisa:

  • Os homens são mais propensos do que as mulheres a dizer que é uma má opção continuar a viver com os pais.
  • As comunidades de afro-americanos, hispânicos ou asiático-americanos não consideram como negativo continuar a viver com os pais
  • Mais de um terço dos americanos (36%) consideram negativo para a sociedade, enquanto 16% dizem que é bom para a sociedade. Quase metade dos americanos (47%) diz que não faz diferença.

Adultos com menos de 30 anos têm menos probabilidade do que os adultos mais velhos de ver isso como uma coisa má. A renda também está associada a visões sobre esse assunto. Adultos de renda alta (46%) são mais propensos do que aqueles com renda média (39%) ou baixa (28%) a dizer que mais jovens adultos morando com os pais são é negativo para a sociedade.

Várias questões contribuem para tal como por exemplo baixa condição financeira para comprar ou arrendar uma casa e também o maior conforto que a vida com os pais proporciona.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
X