Seguro de saúde, vale a pena o investimento?

414

Quando acordamos pela manhã, não sabemos como estaremos ao final do dia. Muita coisa não planeada pode acontecer, e caso aconteça, na maior parte das vezes virá acompanhada de uma conta a pagar, para a qual você poderá não estar preparado. Para isso existem os seguros, que servem para nos protegermos do risco financeiro associado a estes imprevistos, um acidente, doenças ou outras situações não planeadas.

Para um Kamba Rico um dos seguros mais importantes é o de saúde. Todos conhecemos o estado dos hospitais públicos do nosso país e muitas vezes a solução é recorrer às clínicas privadas onde os tratamentos são mais caros e podem descontrolar o orçamento familiar num piscar de olhos. Muitas vezes bastam algumas consultas e exames para fazer-nos gastar muito acima do nosso salário.

Muitos trabalhadores têm a possibilidade de ter um emprego com direito a seguro de saúde, o que é uma grande mais valia e deve ser aproveitada. Se está nesta condição, não pague consultas cobertas pelo seguro do seu próprio bolso sem reembolso, fazendo isso é o mesmo que estar a deitar dinheiro fora. Para quem não tem esta possibilidade, aconselhamos a contratar um seguro de forma individual. O valor a pagar mensalmente irá variar de acordo com a sua idade e com o pacote que pretenda adquirir.

Contacte as seguradoras para obter uma cotação, mas tenha sempre em consideração o seguinte:

  1. Há restrições, o que preciso saber? Muita gente pensa que basta ter um cartão de seguro em mãos que fez-se magia e todas as suas despesas médicas estão pagas! Mas a vida real é bem diferente, a maior parte dos seguros tem restrições e é importante estarmos informados sobre elas, as restrições passam desde o número de consultas anuais, o tipo de consultas e procedimentos que podem ser realizados, internamentos, o montante total a ser gasto. Portanto, confie no seguro, mas é muito importante que tenha um valor reservado nas suas poupanças ou fundo de emergência para eventuais despesas médicas não cobertas.


  2. Qual a cobertura, é importante definir? Nem todo mundo tem as mesmas necessidades, portanto é importante definir que tipos de coberturas o seu seguro terá. Por outro lado não adquira coberturas que não irá necessitar para desta forma poder minimizar o pagamento mensal com o seguro de saúde. Leia bem a apólice e veja se existem coberturas que não são necessárias para si e cancele. Ex: se já não pretende ter filhos então pode retirar a cobertura para o parto, o seu prémio (o valor a pagar pelo seguro) ficará mais barato e conseguirá uma melhor relação qualidade/preço. Seja para retirar ou adicionar coberturas, analise sempre com muita atenção o seguro de saúde que a seguradora lhe está a oferecer, pois este pode não ser aquele que melhor se adapta às suas necessidades.
  3. O que é o período de carência, é importante saber? A carência é o prazo durante qual não é possível usufruir de determinada cobertura, ex: em vários seguros de saúde existe um período de carência mínimo de 9 meses para o parto, o que significa que caso esteja grávida de 2 meses e contrate um seguro com cobertura para parto, poderá ter que arcar com essa despesa porque a quando do nascimento do seu filho ainda estará em período de carência. Tenha atenção aos períodos de carência para evitar surpresas desagradáveis.
  4. Existem exclusões que me deva preocupar? De acordo com a sua idade, o seu histórico clínico, a sua propensão a algumas doenças podem haver exclusões particulares, o seu seguro deixa de cobrir certos tipos de tratamentos. Para além destas existem as exclusões gerais que são automaticamente excluídas na maior parte dos seguros de saúde como check-ups, tratamentos de emagrecimento, tratamentos de fertilização, etc.

É muito importante poder garantir o pagamento de despesas médicas e viver com a segurança de poder proporcionar os melhores tratamentos à si e a sua família em caso de necessidade. Compensa financeiramente ter um seguro de saúde pois transformamos o valor que pretendemos gastar com a saúde em um montante fixo e mais controlável mas você precisa estar bem informado e saber escolher o que melhor se ajusta as suas necessidades. Na altura de efectuar os pagamentos das consultas e exames em alguns casos é feita uma pequena comparticipação por parte do utente e em outros nem é necessário efectuar qualquer pagamento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
X