Salário mínimo: Começou a Greve Geral em Angola Anunciada pelas Centrais Sindicais

280

Segundo o porta-voz das centrais sindicais, Teixeira Cândido, que falava em conferência de imprensa, para a divulgação da declaração de greve, a mesma obedecerá três fases, devendo a primeira durar três dias, a segunda sete e a última 11 dias.

O sindicalista realçou que, desde a entrega do Caderno Reivindicativo ao Governo, a classe representativa dos trabalhadores não recebeu outra proposta que pudesse impedir a greve, agendada.

Teixeira Cândido disse, ainda, que os sindicalistas se encontram firmes para as negociações com o Governo, sublinhando estarem há três meses neste processo de diálogo, que confessou estar a ser exaustivo, lamentando não haver, ainda, qualquer resposta em relação às questões designadas como principais.

Segundo o Caderno Reivindicativo, as centrais sindicais exigiam, inicialmente, um incremento de 245 mil kwanzas como salário mínimo nacional, o equivalente a 300 dólares, e no decurso das negociações reduziram até 100 mil kwanzas.

As centrais sindicais, disse, exigiram, também, o reajuste do salário da Função Pública, na ordem de 250 por cento, e a redução do Imposto de Rendimento de Trabalho (IRT) em 10 por cento.

O sindicalista informou que, durante a greve, as centrais sindicais garantem os serviços mínimos em todas as unidades hospitalares e, igualmente, estão abertas para as negociações com o Governo.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
X