Teste de Semana de Trabalho de 4 dias aprovado por empresas no Reino Unido

164

A semana de 4 dias de trabalho funcionou entre junho e dezembro de 2022, envolveu empresas em todo o Reino Unido e de todos os tipos — como cervejarias, restaurantes, empresas de software e agências de recrutamento.

Um relatório sobre os resultados do teste afirma que o regime de quatro dias de trabalho por semana traz “grandes benefícios”, especialmente para o bem-estar dos funcionários.

Os autores do relatório argumentam que o teste pode desencadear mudanças de atitudes — e que em breve todos no país poderão vir a ter um dia de folga no meio da semana ou um fim de semana de três dias.

Um Exemplo é a Sra. Faye que trabalha como supervisora da entidade Citizen Advice, na cidade de Gateshead no Reino unido, onde cerca de 200 funcionários participaram do esquema. Ela diz que o dia extra de folga lhe dá tempo para “se recuperar”.

Como resultado, ela volta ao trabalho “pronta para a correria”. Segundo Faye, ela faz tanto, ou até mais, em seus quatro dias do que costumava fazer em cinco.

Sua colega, Bethany Lawson, diz que acha mais fácil gerenciar sua equipe agora que a maioria trabalha quatro dias por semana. Ela também diz que consegue se empenhar mais, graças ao dia extra de folga.

Mas para a semana de quatro dias com pagamento integral funcionar no país todo, os empregadores precisarão ver ganhos de produtividade.

Os trabalhadores precisarão criar em quatro dias os serviços e produtos que estavam criando em cinco, para que isso renda dinheiro suficiente para pagar o salário de uma semana inteira de trabalho.

Esse tipo de crescimento da produtividade tem sido um desafio para a economia do Reino Unido. Nos últimos anos, o país foi ultrapassado por muitas outras nações ricas na quantidade de valor criado por trabalhador

Os autores do relatório argumentam que, embora o teste tenha ocorrido entre as empresas — e que, portanto, estavam mais propensas a fazer o esquema funcionar — os resultados são um forte argumento para uma semana de trabalho mais curta.

“Não temos um controle firme sobre exatamente o que aconteceu com a produtividade, mas sabemos que em uma variedade de outras métricas — receita, rotatividade [da força de trabalho], auto-relatos de produtividade, bem-estar dos funcionários, e custos — tivemos resultados muito bons”, diz Juliet Schor, do Boston College, uma das instituições acadêmicas por trás do teste, ao lado das universidades de Oxford e Cambridge.

Embora a maioria das empresas participantes dissesse estar satisfeita com os resultados de produtividade e desempenho, apenas 23 forneceram dados financeiros sobre as receitas. Mas isso é um indício de que as receitas permaneceram praticamente as mesmas durante os seis meses do teste.

Das 61 empresas que participaram, 56 disseram que continuariam com a semana de quatro dias, pelo menos temporariamente. Mas 18 delas disseram que a mudança seria permanente.

A executiva-chefe Alison Dunn diz que a instituição de caridade encontrou muitos benefícios na semana de trabalho mais curta, incluindo menos desgaste entre seus funcionários, que estão sob muita pressão por causa da atual crise econômica.

“O esquema funcionou na maioria dos nossos negócios”, diz ela. “Mas há algumas áreas onde ainda não está claro o quão eficaz seria [ter uma semana de quatro dias].”

Um setor onde é difícil implementar a semana de quatro dias de trabalho é a central de contatos, que já possuía métricas rígidas e metas difíceis de se cumprir. Nessa área, o Citizens Advice teve que arcar com o custo de contratar mais funcionários para permitir que todos trabalhassem apenas em quatro dias da semana.

Dunn espera que o investimento extra seja eventualmente compensado por uma redução nos custos de recrutamento, retenção e doença, Mas tudo isso ainda é “um trabalho em andamento”.

Fonte: BBC News

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
X