INEFOP na Huíla assina convénio para estágios profissionais remunerados

101

Duzentos jovens, de 400 formados em distintas especialidades no centro de Formação Profissional da Humpata, província da Huíla, este ano, estão a frequentar estágios profissionais remunerados, em empresas privadas.

Trata-se de um convénio assinado entre a Administração local, o Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP) e sete empresas instaladas na circunscrição, no âmbito do Programa de Promoção de Empregabilidade (PAPE), cujo treinamento é de três meses.

Os jovens estão a estagiar nas áreas de culinária, agricultura, construção civil, corte e costura, canalização e electricidade, com um subísdio mensal de 40 mil kwanzas, subvencionado pelo governo.

Em declarações à ANGOP, na Humpata, a margem da assinatura do acordo, a administradora local, Rita Soma Miranda, disse que com o estágio os jovens têm a oportunidade de adquirir experiência profissional e, no futuro, enfrentar com competência o mercado de trabalho.

“Outrossim, a maior parte dessas empresas poderão absorver esses estagiários, tudo em função da sua entrega no treinamento, tal como tem acontecido noutras paragens”, disse.

Admitiu que há um investimento significativo em iniciativas orientadas à promoção do emprego e a diminuição da pobreza, desde a formação profissional, entrega de kits de trabalho e a facilitação de treinamento in job.

Reconheceu que o binómio formação/índice de desemprego constitui uma preocupação do Estado, face aos estudos já feitos sobre a problemática, na perspectiva de minimizar o problema, foram implementadas as soluções citadas.

Entretanto, o empresário no ramo de construção civil, Gabriel Chipalanga, após a assinatura do memorando, afirmou estar pronto para dar todas as instruções necessárias e capacitar os jovens estagiários.

Por sua vez, o chefe provincial do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), na Huíla, Alberto Bartolomeu, afirmou que a medida encontrada para o estágio é a mais acertada, pois coloca frente a frente o empregador e o desempregado, que tem a opourtunidade de mostrar o seu valor.

Desafiou as restantes administrações municipais a seguir o mesmo exemplo, no quadro de apoio ao governo na promoção da empregabilidade.

Fonte: Angop

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!
X